Association Culturelle pour les Etudes Portugaises

Accueil du site > Liste des archives > 2010/2011 > Arquivo artigos jornalinho 2010 > Esta é a ditosa pátria minha amada (II)

Esta é a ditosa pátria minha amada (II)

vendredi 17 décembre 2010, par Léa Delgado

Luís de Camões, Os Lusíadas, III, 21

Apesar de eu gostar muito de ir para Portugal no Verão, não sei se valerá a pena ir viver para lá. Na verdade, eu só conheço a vida de lá nas férias. Mas uma pessoa não pode passar o tempo na praia, sair à noite e andar todo o dia na conversa com os amigos durante todo o ano. Claro que tudo isso só se mantém nos meses de julho e agosto. Eu nunca fui para lá durante o resto do ano, mas a visão de Portugal que tem a maioria das pessoas que eu conheço é negativa. Nunca se houve falar de um Portugal atrativo. Portugal é só sinónimo de desemprego, corrupção política e salários muito baixos. Se os meus pais emigraram, também deve haver boas razões. A situação do país parece que não pode melhorar com a mentalidade atual do povo português. Os portugueses são os reis do "deixa andar", sempre "logo se vê", não há urgência. De facto, dizem muito mal, mas fazem pouco para melhorar a situação precária do país. Se compararmos com a França, por exemplo, há poucas manifestações em Portugal. O povo português parece preso numa forma de apatia e inércia geral. Até nas duas Revoluções que houve em Portugal em 1910 e 1974, os portugueses deixaram tudo acontecer. Não houve feridos ou conflitos. De maneira geral, acho que só uma pessoa que tem muita vontade pode conseguir viver em Portugal.

Répondre à cet article

ACEP: 47, rue de Naples, 75008 Paris — Tel: 01 43 87 52 91 — Fax: 01 43 87 37 57 | Se déconnecter |