Association Culturelle pour les Etudes Portugaises

Accueil du site > Liste des archives > 2010/2011 > Arquivo artigos jornalinho 2010 > Extractos dos trabalhos apresentados pelas alunas de 1ère B

Extractos dos trabalhos apresentados pelas alunas de 1ère B

mardi 17 décembre 2013

Alfabeto pessoal

... E, de Excesso. Era uma banda de música composta por cinco rapazes que apareceu nos finais dos anos 90, tinha eu 8 anos. Era fã deles assim, como todas as minhas amigas da época. Era impressionante como eu conhecia a letra de todas as canções deles ! ...

A, de Amigo. É incrível a importância que tem um amigo na vida de uma pessoa ! É alguém que nos dá muito apoio e que está ao nosso lado nos bons e nos maus momentos.

B, de Benfica. O meu primeiro clube enquanto criança. “Herdei”-o do meu pai e do meu irmão que foram sempre benfiquistas ferrenhos. Acabei por trocá-lo pelo F.C.Porto.

C, de Coragem. Para mim, o maior exemplo de coragem que posso ter é o da minha mãe que tem de lutar diariamente com a doença da minha irmã e que dá sempre prioridade aos outros.

D, de Deus. Foi na convicção da existência de algo acima de nós que fui educada. Sempre segui as regras impostas por Ele (e pelos meus pais). Até quando ?

E, de Excesso. Era uma banda de música composta por cinco rapazes que apareceu nos finais dos anos 90, tinha eu 8 anos. Era fã deles assim, como todas as minhas amigas da época. Era impressionante como eu conhecia a letra de todas as canções deles !

F, de Fogueira. Nas noites frias de Verão muitas vezes acendíamos uma fogueira no centro da nossa aldeia. Não só nos aquecíamos como o convívio ganhava outra intensidade. Organizávamos jogos, conversávamos e cantávamos.

G, de Gritar. Que grande libertação proporciona este acto a pessoas de natureza tímida como eu !...

H, de Horta. Durante a minha infância passei muito tempo na horta com a minha avó pois não podia ficar em casa sozinha. Para mim, era um divertimento : entretinha-me a fazer “bolos” com a terra e “comida” com as ervas.

I, de Independência. O sentimento que predomina em mim é o de prisioneira. Nunca faço o que quero. Nunca exteriorizo o que sinto. Mas agora sei o que quero fazer da minha vida. Uma só frase está constantemente na minha cabeça : « Só mais um ano e meio e és independente ! »

J, de Jovary. Amiga que desapareceu há oito anos levada por uma leucemia. Nunca a esquecerei. Graças a ela, sei que tenho de aproveitar cada momento da vida porque ela é curta demais e pode acabar em qualquer instante.

L, de La Vie est Belle

. O meu filme favorito. O único que me faz passar do riso às lágrimas. Realizado e interpretado por Roberto Benigni, mostra a força do amor de um pai para com o seu filho.

M, de Mãe. Essa mulher que me ensinou tudo, que está presente em cada momento da minha vida para me ajudar, para me ver crescer. Um modelo para mim, uma força única.

N, de Natal. O Natal é uma festa cheia de magia. Ainda me lembro de quando esperava com impaciência o Pai Natal. Até me rio quando penso nisso ! Gosto desta festa porque a família está toda reunida e estamos com as pessoas que nos são queridas.

O, de Olhar. Às vezes nem é preciso falar, percebemos tudo com um simples olhar.

P, de Portugal. O nome diz tudo. Portugal foi, desde sempre, o país do qual me sinto originária. Mesmo tendo nascido em França, o meu país é Portugal.

Q, de Quarto. O meu espaço privado, o lugar onde passo mais tempo. O meu jardim secreto.

R, de Respeito pelo ambiente. Ainda a semana passada participei no “Hearth Hour” apagando as luzes de minha casa permitindo assim à nossa Terra de poupar 24h de electricidade.

S, de Sardinha. Peixe delicioso assado na brasa. O seu cheirinho transporta-me até Portugal !

T, de Touro. Às vezes tomo atitudes sem pensar nas consequências, um pouco como um touro que corre à desfilada.

U, de Urbanização. Estou farta da urbanização das grandes cidades ! Quero a simplicidade das aldeias portuguesas com a sua natureza bravia, o gado pelos caminhos...

V, de Viagem. Antes de morrer, prometi a mim mesma fazer uma viagem à volta do mundo. Quero conhecer cada país, cada cidade, ainda que saiba como é desmedido o meu sonho.

X, de Xulé. A frase mais dita na minha família para arreliar alguém é “Cheira a xulé !” Acho esta palavra tão engraçada !

Z, de Zorro. Porque sempre adorei esta personagem. Quando era mais pequena imaginava-me a contracenar com ele e a vivermos juntos as aventuras em que ele participava.

Répondre à cet article