Association Culturelle pour les Etudes Portugaises

Accueil du site > Liste des archives > 2015/2016 > Articles de 2015 > Um outro final para o conto O Conde Jano de Mário de Carvalho. > Final para o conto « O Conde Jano » de Mário de Carvalho por Filipa Araújo 304 (...)

Final para o conto « O Conde Jano » de Mário de Carvalho por Filipa Araújo 304 D

lundi 13 avril 2015, par IdB

Um outro final para o conto O Conde Jano de Mário de Carvalho.

« Saiu tão irado o rei que quase atropelou o físico que chegava encharcado, a carregar-lhe o saco das tisanas. »

A Infanta, triste e enervada, foi deitar-se em cima do seu leito e, com a raiva que sentia, atirou a sua almofada para o chão. Tinha tentado esquecer aquele amor infantil, mas em vão. Agora estava a sofrer. A sofrer de amor. A sofrer as consequências do passado. A sofrer a sua impotência mesmo sendo uma princesa.

Depois de ter pensado bem, tomou uma decisão. Levantou-se, pegou numa folha de papel e começou a escrever. Escreveu durante horas e horas, com as lágrimas a correrem-lhe pelo rosto, a pensar se o que ela iria fazer seria uma boa decisão.

Ao fim do dia, foi até à cozinha e escondeu uma faca debaixo do vestido. De volta ao seu quarto foi para a sua casa de banho privativa. Pôs-se em frente ao espelho uma última vez, antes de apunhalar o seu coração para aliviar a sua dor de soledade. Depois de anos e anos de sofrimento, encontrava finalmente a paz dentro de si. Este sentimento propagou-se da cabeça aos pés até o seu corpo cair inanimado no chão. A sua mão segurava a carta que escrevera durante o dia. A carta dizia :

Querido Pai,
Há mais de dez anos que me sinto triste, desesperada e sozinha. Desculpe-me a dor que lhe vou causar, mas já não aguento mais este sofrimento. O meu coração sofreu de mais. Diga ao Conde Jano que sempre o amarei, que ele ficará para sempre no meu coração. Espero que o pai perdoe esta minha decisão. Grandes beijos da sua filha.

Filipa Araújo 304 D

Répondre à cet article

ACEP: 47, rue de Naples, 75008 Paris — Tel: 01 43 87 52 91 — Fax: 01 43 87 37 57 | Se déconnecter |